CULTURA

De acordo com Lakatos e Marconi (1999, p. 131) existem mais de 160 conceitos para cultura. Este enfoque abster-se-á destes detalhes, mas ao considerar-se cultura como “a forma comum e aprendida da vida, compartilhada pelos membros de uma sociedade” (FOSTER, APUD LAKATOS; MARCONI, 1999, p. 132) e “a parte do ambiente feita pelo homem” (HERSKOVITS, APUD LAKATOS; MARCONI, 1999, p. 132) e a contribuição de Kroeber (APUD LARAIA, 2001, p. 49)

7. A cultura é um processo acumulativo, resultante de toda a experiência histórica das gerações anteriores. Este processo limita ou estimula a ação criativa do indivíduo.

8. Os gênios são indivíduos altamente inteligentes que têm a oportunidade de utilizar o conhecimento existente ao seu dispor, construído pelos participantes vivos e mortos de seu sistema cultural, e criar um novo objeto ou uma nova técnica. Nesta classificação podem ser incluídos os indivíduos que fizeram as primeiras invenções, tais como o primeiro homem que produziu o fogo através do atrito da madeira seca; ou o primeiro homem que fabricou a primeira máquina capaz de ampliar a força muscular, o arco e a flecha etc. São eles gênios da mesma grandeza de Santos Dumont e Einstein. Sem as suas primeiras invenções ou descobertas, hoje consideradas modestas, não teriam ocorrido as demais. E pior do que isto, talvez nem mesmo a espécie humana teria chegado ao que é hoje.

e ainda o que o que o próprio Laraia (2001, p. 94-101) analisa sob o título de “A cultura é dinâmica”, em que demonstra a evolução da cultura, em diferentes velocidades, pode-se então de maneira simplificada considerar cultura como um comportamento individual, com todas as suas interações, que pelo senso comum tenha sido bem sucedido, transforma-se em comportamento coletivo ou coletivamente aceito. Estes comportamentos são bastante estáveis, transmitidos de geração em geração pelo exemplo e pela educação formal e informal. Sua mudança depende de um novo comportamento individual que consiga demonstrar-se mais vantajoso e consiga superar o receio que naturalmente o ser humano tem por coisas desconhecidas.

Um dos problemas decorrentes da cultura ocorre pela avaliação do sucesso de um determinado comportamento ser decorrente do senso comum, e que muitas vezes não consegue apreender todas as consequências, que eventualmente poderão acontecer distantes, tanto no espaço como no tempo.

Outro problema ocorre quando estes comportamentos derivam de grupos dominantes, em desfavor de minorias, mas que se consolidam e acabam promovendo injustiças coletivamente aceitas. Também as percepções diferenciadas de grupos, acabaram produzindo diferentes culturas ao redor do planeta, que hoje vem se homogeneizando pela globalização, mas nem sempre adota os melhores comportamentos.

A ciência vem demonstrando estes equívocos, inclusive a ciência do Direito tem criado leis que contrariam estes comportamentos, mas que em função da referida resistência natural, acaba tendo muita dificuldade em prevalecerem.

As queimadas para limpeza do solo a ser utilizado para agricultura é uma prática incorporada à cultura de diversos povos e que a ciência vem demonstrando ser extremamente prejudicial ao solo e a biodiversidade, e, portanto, prejudicial à própria agricultura a longo prazo.

Um exemplo de prática cultural de alguns locais, que praticamente já ultrapassou a fase de polêmica, sendo considerada totalmente equivocada, ferindo os direitos humanos é a mutilação da genital feminina, como forma de tornar a mulher mais pura, entre outras justificativas. (MUTILAÇÃO..., 2017  ).

Desta forma, acredita-se que o respeito à diversidade cultural, suas práticas e valores, não deve inibir uma cuidadosa avaliação, como bem coloca Morin e Kern (1993, p. 87):

Devemos respeitar as culturas, mas elas são imperfeitas em si mesmas, tal como nós próprios somos imperfeitos. Todas as culturas, tal como a nossa, constituem uma mescla de superstições, ficções, fixações, saberes acumulados e não criticados, erros grosseiros e verdades profundas; mas não sendo esta mistura discernível numa primeira abordagem, é preciso estar atento de modo a não classificar como superstições saberes milenários [...].

Estes procedimentos cuidadosos deverão ser parte integrante do senso comum esclarecido e exercitados nos relacionamentos cooperativos de controle e contracontrole.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Sociologia Geral. 7. ed. rev. e ampl. São Paulo: Atlas, 1999.

LARAIA, R. B. Cultura: um conceito antropológico. 14 ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

MORIN, E.; KERN, A. B. Terra-Pátria. Trad. Armando Pereira da Silva. Lisboa: Instituto Piaget, 1993.

MUTILAÇÃO GENITAL FEMININA. In: WIKIPÉDIA, a enciclopédia livre. Flórida: Wikimedia Foundation, 2015. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Mutila%C3%A7%C3%A3o_genital_feminina> Acesso em: 08 jul. 2017.

Retângulo: Cantos Arredondados: SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL . ORG
Retângulo: Cantos Arredondados: Home
Retângulo: Cantos Arredondados: Tópicos
Retângulo: Cantos Arredondados: Contato

Reflexão e site em construção, aberto a críticas e sugestões, desde que, racional e sistemicamente construídas e/ou demonstradas. As futuras gerações agradecem pela contribuição.

Retângulo: Cantos Arredondados: Na rota do colapso civilizacional. Por que não mudamos de rumo?
Retângulo: Cantos Arredondados: Home
Retângulo: Cantos Arredondados: Tópicos
Retângulo: Cantos Arredondados: Contato

E-mail: ambiente@saudavelesustentavel.org